Thursday, June 18, 2009

Sou cozinheiro e jornalista




Prazer, eu sou jornalista, formado e tenho diploma. Prazer, eu sou cozinheiro, formado e tenho diploma. Prazer, eu sou cozinheiro e jornalista, não sou formado, mas posso exercer a profissão de jornalista e de cozinheiro sem precisar de diploma. Nhã-nhã-nhã! Postagem número 100 e sem valor nenhum, assim como a formação de jornalista e de cozinheiro, pelo menos, para alguns. Na primeira foto, Fabão, eu e Catunda, na colação de grau.

Parece mais um resultado de um jogo Brasil x Venezuela, antes da equipe da Venezuela se fortalecer, claro. É! Porque até a seleção da Venezuela é mais respeitada do que a profissão de jornalista no Brasil.

É que o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu ontem, por oito votos a um, ser inconstitucional a obrigatoriedade do diploma em curso superior específico para exercer a profissão de jornalista no Brasil. Isto é, sem qualquer formação superior em comunicação, qualquer pessoa pode , legalmente, exercer a profissão de jornalista.

Eu fui dormir já com essa notícia e acordei com a minha amiga da banca de revista gritando por mim. “Andreh, tu tai? Eu li aqui no jornal que, se eu não gostar de minha profissão mais, posso ser jornalista. HAHAHA!”. É uma das interpretações possíveis para a decisão.

As chacotas não pararam por aí. Nesta manhã (18 de junho), por volta de 10 horas, um amigo deu continuidade à situação deflagrada pelo Supremo.
Melhor ver o que a imagem acima.
Por questão de ética - também debatida e ensinada nos curso de comunicação -, expus a foto nem o email do Henrique. Os elementos foram retirados para resguardar a fonte. Como é preciso garantir a veracidade da informação, mantive o nome e solicitei autorização para a publicação da imagem na tela do computador. Autorizada.

Mais uma frase de MSN, esta de uma colega de trabalho: “Sou diplomada e faço descontos... kkkkkkkkkkkk. a gente vai colocar no currículo agora, pq eles vão querer contratar quem não tem diploma por causa do preço, aí os diplomados vão fazer promoção. a gente ri pra não chorar”

Veja o que os ministro do STF disseram:

Para o presidente da Corte, Gilmar Mendes, a formação específica em curso deve ser dispensada para a garantia do exercício pleno das liberdades de expressão e informação. Os demais ministros presentes seguiram o argumento, exceto o ministro Marco Aurélio Mello.

Mendes comparou a profissão de jornalista com a de cozinheiro. "Um excelente chefe de cozinha poderá ser formado numa faculdade de culinária, o que não legitima estarmos a exigir que toda e qualquer refeição seja feita por profissional registrado mediante diploma de curso superior nessa área. O Poder Público não pode restringir, dessa forma, a liberdade profissional no âmbito da culinária. Disso ninguém tem dúvida, o que não afasta a possibilidade do exercício abusivo e antiético dessa profissão, com riscos eventualmente até à saúde e à vida dos consumidores", disse.


Vencido no julgamento, Mello afirmou que o jornalista deveria “ter uma formação básica que viabilize a atividade profissional, que repercute na vida do cidadão em geral”. Viva!


"Nesse campo (quem campo?), a salvaguarda das salvaguardas da sociedade é não restringir nada. Quem quiser se profissionalizar como jornalista é livre para fazê-lo, porém esses profissionais não exaurem a atividade jornalística. Ela se disponibiliza para os vocacionados, para os que têm intimidade com a palavra (Ô!)", afirmou o ministro Ayres Britto. Blá-blá-blá!


O ministro Cezar Peluso disse que experiências de outros países demonstram que o jornalismo sempre pôde ser bem exercido sem qualquer exigência de formação universitária. "Não existe no exercício do jornalismo nenhum risco que decorra do desconhecimento de alguma verdade científica", afirmou. Os ministros Menezes Direito e Joaquim Barbosa não participaram do julgamento.


O recurso acolhido pelo STF foi ajuizado pelo Sindicato das Empresas de Rádio e Televisão no Estado de São Paulo (Sertesp) e pelo Ministério Público Federal (MPF) contra uma decisão do Tribunal Regional Federal da 3ª Região que tinha afirmado a necessidade do diploma.

A decisão atende também à defesa da Associação Nacional dos Jornais (ANJ) e contraria a Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), para quem foi justamente a exigência do diploma para o exercício do jornalismo, prevista no Decreto-Lei 972 de 1969, que permitiu a profissionalização e a maior qualificação da atividade jornalística no Brasil. (Com informações da Agência Brasil e da Folha online)

8 Comments:

At 7:21 AM, June 18, 2009 , Blogger alynnedani said...

FALA SERIO!!! sem comentarios...

 
At 7:32 AM, June 18, 2009 , Blogger Jordana Shertany said...

é triste e vergonhoso! agora qq um poderá fazer aquilo q eu venho estudando há quatro anos, e no fim resultar nisso! é PODRE!

 
At 5:45 PM, June 18, 2009 , Blogger SiDeRanDo said...

Cooporativismos e pirão à parte, realmente é complicado você pensar um cozinheiro comunicando a milhões de pessoas informações essenciais como relacionadas a saúde e políticas públicas por exemplo sem sequer passar perto de uma disciplina de ética, pra dizer o mínimo.
Lamentavel.

 
At 6:25 PM, June 18, 2009 , Blogger Lovely_Pipa said...

De fato... Profissão é aptidão e dom, mas é muito mais isso.. abnegação! É esforço...
Triste decisão

 
At 7:08 PM, June 18, 2009 , Blogger Rohberta said...

É né.. E num deu tempo nem eu me formar! Huhauhauha.. Vamos rir p/ não chorar ;P

 
At 7:38 PM, June 18, 2009 , Anonymous Anonymous said...

uam trsiteza essa decisão mas, continuaremos a lutar pelo jornalismo de qualidade!

(aline pedrosa) estudante de jornalismo

 
At 10:32 PM, June 19, 2009 , Anonymous Alana Gabriele said...

Queria falar que a minha maior preocupação nãosão os 4 anos dedicadas a faculdade... ao conhecimento, nem muito menos a preocupação com a responsabilidade que requer essa profissão! Minha grande angustia é exatamente não saber cozinhar! Poderia ter feito algum curso na área enquanto desperdicei meu precioso tempo pra aprender a ser uma coisa que eu ja seria de qualquer jeito: jornalista! E vamos pra frente que atras vem gente?! Certo? Certo! é isso que acontece na republica democratica chamada Brasil! Desculpa povo heróico e bravo, mas vocês não merecem os governantes dessa pátria amada!

 
At 3:10 PM, August 18, 2009 , Anonymous Valcir Machado said...

OI, sou eu novamente, Valcir Machado, de Viçosa do Ceará.

Elaborei um comentário, há um mês aproximadamente, acerca deste assunto instigado pela minha filha, aluna de Publicidade e Propaganda da UFC.

No texto, publicado no meu blog www.dizbicho.blogspot.com, além da minha opinião há um comentário dela bem embasado acerca deste assunto. Vale a pena ver, pelo debate.
Acessem e vejam. Ficou interessante, admito mais pelo comentário.

Grande abraço a todos

Valcir Machado.

 

Post a Comment

Subscribe to Post Comments [Atom]

Links to this post:

Create a Link

<< Home