Tuesday, September 07, 2010

Teimosia


A existência é mesmo cruel. A força da convergência celular nos obriga a desembarcar no mundo sem carta de recomendação e com a obrigatoriedade de conviver com o despeito, as mudanças climáticas, a avareza, a hipocrisia, a violência... e, mesmo assim, também não faz parte do pacote de vida um documento de especificação funcional, muito menos o direito de exigir retorno ao nada.

Mal agradecido, né? Bem melhor se eu fosse um gato, que só quer saber de comer, dormir, ficar na sombra e funhanhá. Mas gatos tem sete vidas. Melhor não! Preguiçoso! Ah, mermão, vai pra casa da chica! Teimoso é o c@r@)%&

Teimo em poetizar. Mas como vou deixar de rimar minhas emoções, se você não contribui? Meu estímulo auditivo, tua voz; meu estímulo visual, tua matéria; meu estímulo sensorial, tua existência. Mas você não retribui.

Mudei de ideia. E você me fez pensar um dia em desistir e voltar ao pó. Não, não. Sou um missionário desta vida e não arredo um pé nem desisto de desatar um nó, pode ter  certeza, mesmo que seja um nó de fita vermelha ou preta, eu desato!

Teimoso, né? Sou mesmo, capricorniano, elemento terra e sob regência de saturno, me disseram.

1 Comments:

At 4:56 PM, September 07, 2010 , Anonymous Anonymous said...

Sou fã de teus versos...
viajo no q tu escreves...
adoreiii
é uma terapia te LER

Bjocas Piauienses

 

Post a Comment

Subscribe to Post Comments [Atom]

Links to this post:

Create a Link

<< Home